A distribuição

A distribuição do filme será feita pela Encripa que é uma empresa especializada em licenciamento e distribuição de conteúdo audiovisual para diversos segmentos de mercado. Através do selo Elite, distribui para cinema e todas as outras janelas.

Como o filme tem perfil de cinema de autora, a primeira forma de exibição será através de mostras e festivais nacionais e internacionais que produzem impacto de crítica e de mídia espontânea, mesmo que não sejam nas mostras competitivas principais, a exemplo de Berlim e Cannes; mas também em festivais como Locarno, Toronto e Sundance.

Para a distribuição no Brasil, dois fatores estão sendo considerados: a relevância do tema, infelizmente, muito recorrente nas famílias brasileiras e a presença da atriz Julia Lemmertz no elenco, que possui bastante popularidade em função dos seus trabalhos na TV. Com isso, entende-se que há potencial para entrar, também, em salas comerciais.

Para iniciar a comercialização, foram escolhidas 12 cidades diferentes para cobrir a promoção desse lançamento de maneira adequada. Entre as principais cidades de abertura estão Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza, Curitiba, Goiânia e cidades médias como Campinas, Florianópolis, Juiz de Fora e Caxias do Sul. Para lançamento no Brasil, serão acionadas linhas de apoio do FSA para distribuição, juntamente com a distribuidora.

Após percorrer o circuito de salas de cinema, o filme será comercializado para VOD como Now, Sky Play, Claro Video, Looke, iTunes, entre outros.

A janela seguinte será a TV a Cabo. Não há, inicialmente, a intenção de negociar o filme com exclusividade para nenhum canal. Poderá ser comercializado com Canal Brasil, Sony, TNT, FOX, Box Brazil entre outros possíveis canais.

O público-alvo primário do filme é o feminino adulto, na faixa etária entre 26 e 45 anos. Segundo pesquisas, quase 40% do público que vai ao cinema encontra-se nesta faixa. Sendo que 52% do público que frequenta o cinema é feminino.

Pelo tema e gênero dramático, acreditamos que atinja um público predominantemente da classe B que, segundo a mesma pesquisa, equivale a 41% das pessoas que frequentam as salas de cinema.

O público secundário também é o feminino adulto, porém na faixa etária entre 46 e 56 anos. Um aspecto a ser considerado é que o filme terá como classificação etária sugerida: 18 anos.

Existe, também, dentro da proposta de distribuição do filme, o planejamento de levá-lo às universidades para que o tema seja discutido. O que traria o público de 18 a 25 anos, não só o feminino, mas, também, o masculino que é fundamental para o objetivo de um debate transformador.

Para dar suporte a esta estratégia, será criado um canal digital com a publicação de vídeos com histórias complementares ao filme. Neste canal também serão publicadas matérias e relatos sobre pessoas que já sofreram abusos dentro de suas famílias. O objetivo é criar um projeto transmídia, para que o público tenha interesse em conhecer essas histórias, tendo o longa-metragem como o principal hub de atenção.